17.1.07

D�vidas e Pernilongos

D�vidas e Pernilongos

21.6.06


Continuo..............................
......................

Ando demasiadamente pelos pensamentos
Tolos pensamentos andantes
Desviantes pensamentos andantes
Pensantes e andantes pelos ares
Mares pensantes visitantes de terras
Pelas v(i) elas
Continuo a andar
Viajar e pen(s) ar
A deslizar pelos ares
Entre nuvens e jazidos de idéias
Que fica a me cutucar
(Ei) vai pensar ou vai dormir?(abrir)
(Ei) vai continuar ou parar?(fechar)
Digo mais, mas o andar, o pensar está na essência
De mudar, de pensar, de andar
Claro e forte pensar
Peso do andar não me cansa
(Dês) cansa a mente para pen(s)ar
(An) danças que revigora
Melhor(a) me faz refletir
Não (pensa) mente
livre ou
(se)já
Foi
Ou será ?
um dia quem sabe continuo a caminhar
Ou talvez penar........
Ar
Que pensa
Pen (a)


Cachaça pinga e butequim

Ao abrir a caixa de fósforo
Dois homens
Bombas
De papel marche
Ao lado, poste
Goste
ou não estou ai
A gritar
Meu dever cidadão
Ao abrir a caixa de fósforo
Duas mulheres
Loucas
Histeria coletiva
Viva
No sabão da madraguda
Amada
Beijos almofadas
Drinques de despedida
Ao abrir a caixa de fósforo
Dois sóbrios
Mais uma pedida

Virei as três
As quatro deitei
Esperniei a maldição
De ser cidadão
Poderia ser presidente
Ao abrir a caixa de fósforo
Dois passos
Molho ao dente
De repente
Ausente presença
De paz
Não poderá ir alem
Mas ... ficara
Lembrança de vida
fechou
Lida e marcada
caixa
ultrapassou a faixa
fósforo
morte, assim acho eu.
Passos vou embora agora.

7.2.06

cuidado com as flores


Nem sempre o que se vé é o real
pode ser tambem do mal
principalmemnte quando vem acompanhado
de um mal intesionado
mal presentimento premeditado
editado
tome muito cuidado
pode ser vc

5.12.05

As 12

Eramdozehoras e tudo comecou .OK